A SilFisio foi originalmente um consultório de Fisioterapia que funcionou na cidade do Recife - PE, no período de 2000 a 2004 e que agora inicia uma nova proposta "virtual", com o intuito de levar aos interessados informações interessantes sobre fisioterapia, saúde e qualidade de vida. Escolhemos uma linguagem o mais coloquial possível, para que todos possam entender.Espero que gostem, comentem.



sábado, 15 de maio de 2010

Os Estados Brasileiro que mais investem em saúde

Segundo o Ministério da Saúde, dos 27 estados brasileiros, somente 11 investem mais ou apenas o que impõe a legislação federal em saúde pública. De acordo com os dados, o Rio Grande do Norte está à frente até mesmo dos grandes centros urbanos das regiões Sudeste e Sul do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina – estados com receitas tributárias bem maiores.




No patamar dos que investem mais de 12% estão, por ordem de classificação, Amazonas (23,8%), Distrito Federal (19,64%), Rio Grande do Norte (18,65%), Amapá (15,87%), Tocantins (15,12%), Roraima (14,46%), Acre (13,27%), Pará (12,57%), São Paulo (12,08%), Bahia (12,07%) e Sergipe (12,02%).



Os que investem abaixo dos 12% preconizados na Constituição estão: Rondônia, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Alagoas, Pernambuco, Espírito Santo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Goiás, Ceará, Piauí, Paraíba, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O que estes 16 estados deixaram de aplicar na área de saúde em 2007 representa um volume de R$ 3,6 bilhões, recursos suficientes para construir 70 hospitais de médio porte. Em pior situação está o Rio Grande do Sul, que investe apenas 3,75%.


A Constituição Federal determina que os governos estaduais devem destinar, no mínimo, à saúde pública 12% da receita. Para alcançar o percentual, alguns estados chegaram a incluir gastos com tratamento de esgotos, plano de saúde de funcionários, aposentadoria de servidores da saúde, alimentação de detentos e programas sociais.

Investimentos em saúde por ordem de classificação:



1º Amazonas (23,8%),



2º Distrito Federal (19,64%)



3º Rio Grande do Norte (18,65%)



4º Amapá (15,87%)



5º Tocantins (15,12%),



6º Roraima (14,46%),



7º Acre (13,27%),



8º Pará (12,57%),



9º São Paulo (12,08%),



10º Bahia (12,07%)



11º Sergipe (12,02%)



12º Rondônia (11,09%)



13º Santa Catarina (11,28%)



14º Mato Grosso (10,77%)



15º Rio de Janeiro (10,77%)



16º Alagoas (10,56%)



17º Pernambuco (10,54%)



18º Espírito Santo (9,99%)



19º Paraná (9,81%)



20º Mato Grosso do Sul (9,44%)



21º Maranhão (8,89%)



22º Goiás (8,09%)



23º Ceará (7,87%)



24º Piauí (7,77%)



25º Paraíba (7,41%)



26º Minas Gerais (7,09%)



27º Rio Grande do Sul (3,75%)

2 comentários:

  1. É uma pena que nossos governantes tratem o povo com tal descaso.
    Abraço!
    Kátia

    ResponderExcluir